Gestão de Processos de Cadastro

Desde 1997 que a gestão dos bens do domínio público ferroviário, bem como os direitos e obrigações a eles inerentes, foram transferidos para a REFER. Esta competência foi atribuída através do DL 104/97 de 29 de abril (artigos 10º, 11º e 12º do referido diploma).

Para se fazer uma gestão precisa e em tempo real de todo o património (bens imóveis, terrenos e edifícios) é importante ter em consideração o histórico com mais de 150 anos de sucessivas alterações patrimoniais (aquisições e cedências) e o elevado volume de dados cadastrais, que abrange todo o País.

A IP Património aposta nas tecnologias de informação geográfica como elemento fundamental e decisivo para uma gestão integrada do património. Para o efeito foi constituído um Sistema de Informação Geográfica (SIG) que funciona como ferramenta base de todos os processos.

O SIG permite:

  • Inventariação de todos os dados geográficos

Recorrendo a todos os dados cadastrais existentes (analógicos e digitais), à informação topográfica e às potencialidades dos softwares SIG e CAD, procede-se ao registo em base de dados central da informação geográfica e alfanumérica a ela associada.

  • Criação de aplicativos

Através de pequenas aplicações desenvolvidas na empresa é possível democratizar a utilização da informação e possibilitar que a sua atualização possa ser feita por um conjunto mais vasto de pessoas;

  • Gestão de processos

É possível fazer-se uma gestão integrada, de um conjunto de processos, com a informação geográfica. A gestão do processo de emissão de pareceres externos sobre construções próximas das infraestruturas ferroviárias, a execução de novas expropriações e o desenvolvimento de processos de alienação ou de concessão, são realizados de forma transversal, tendo por base a partilha de dados entre todas as áreas;

  • Análises geográficas e disponibilização de informação

Possibilidade de efetuar um conjunto de análises de dados (ex.: disponibilização de áreas para valorização, ocupações ilegais, ativos próprios e públicos, disponibilização de informação com outras entidades, consulta direta do ponto de situação de cada elemento geográfico, etc.).